quinta-feira, 26 de novembro de 2015

MELODIA IMORTAL

Melodia Imortal
Serenade For A Lost Love
Super Sabrina # 28
Jocelyn Haley



Por que comentar livros que não gostei?
ESSE EU AMEI rsrsrsrsr  e Recomendo!

Livro é lindo!!

Alguns livros você lê e não te passa a emoção que esse passa. Sabemos que a maioria dos livros são escritos pelas inglesas, onde os diálogos deixam muito a desejar. Pois não passam emoção, é um pouco mêcanico. Esse livro não. Os diálogos são tocantes... A história, o desencontro, a gravidez da mocinha, que lutou sozinha, mas que antes de se prender a um compromisso mais sério com alguém, vai em busca de seu amor do passado, onde tem uma filha. Ele machucou a mão num acidente de carro deixando-o impossibilitado de fazer concertos. Mudou de cidade se isolando do mundo e até mesmo do piano. Até aparecer novamente depois de 10 anos o amor da vida dele, que devido a música não quis compromisso sério com ela na época.
O final do livro é expetacular... EMOCIONANTE MESMO!



RESUMO DO LIVRO

Fazia mais de dez anos que Diana não via o famoso pianista Rhys Morgan. Naquela época, em Montreal, antes mesmo de terem trocado as primeiras palavras, ela já sabia que o desejava. Então, ele a beijou...
Foi um tumultuado romance que durou três curtos e longos dias. Aí Rhys partiu para uma tournée, abandonando Diana grávida!
Foram longos anos de vergonha e desespero, mas ela conseguiu superar tudo: Criou a filha sozinha e firmou-se como pintora. Agora queria se casar com o homem que a amava. Antes disso, porém, precisava rever Rhys e afastar os fantasmas do passado...


TRECHO DO LIVRO


                 Sobre a penteadeira havia um porta-retratos com uma fotografia colorida de sua filha. Pela milésima vez, Diana a observou: os cabelos longos e escuros, tão diferentes dos seus, e os sérios olhos azuis. Como ela poderia esquecer-se do pai de Belinda, se à sua frente havia um retrato vivo dele? Como os de Belinda, os cabelos de Rhys eram escuros, espessos e sedosos; e os olhos, de um azul-claro como o céu do inverno. E, mais do que qualquer outra coisa, Belinda havia herdado o talento musical do pai, mesmo sem nunca o ter conhecido. Não, ela não poderia esquecer-se de Rhys, enquanto Belinda existisse.
Rhys. Diana não queria pensar nele, mas as memórias vinham à sua mente. Nas primeiras semanas depois que ele a abandonara, as noites eram a pior parte do dia. Seu corpo, tão inexperiente antes de conhecê-lo, agora sentia a ausência do homem que a fizera despertar. Sofria pela falta do amor dele. Desejava o toque de suas mãos, as carícias daqueles dedos que a faziam vibrar de emoções apaixonadas e até então desconhecidas.
                  Mas Rhys tinha partido, e ela sabia que ele não voltaria. Amedrontada, confusa e só, tomara o único caminho que lhe ocorrera: lutara contra seus desejos, enterrara as lembranças dos momentos vividos, fazendo votos de que nunca mais seu corpo a traísse e a arrastasse para aquela beleza terrível que se chamava amor. Para esse último fim, ela tivera a ajuda da gravidez e do parto, e, logo depois que Belinda nascera, alcançara seu objetivo. O sinal de "afastar-se", como Alan o chamara, estava firme em seu lugar. As emoções que Rhys havia despertado foram canalizadas para a menininha de cabelos escuros e para sua ambição de tornar-se uma artista, tão bem-sucedida e conhecida em seu campo quanto Rhys era no dele.

MAIS FORTE QUE O DESEJO






LIVRO LINDO. PARA QUEM GOSTA DE LIVROS ONDE VOCÊ NÃO SABE COM QUEM A MOCINHA IRÁ FICAR NO FINAL DO LIVRO. POIS A MAIORIA DOS LIVROS LOGO CONCLUIMOS O CASAL CERTO.

Aqui os dois irmãos  são apaixonados pela Rose a mocinha  do livro. Fiquei com o coração apertado por um deles...Mas foi com quem eu queria...
 O melhor ainda do livro é um segredo que envolve os irmãos!  E nem desconfiamos desse segredo que se desvenda no livro.

A autora soube fazer um livro leve e gostoso de ler, e esse romance no final fica mais emocionante e intenso, com o segredo se desvendando...


RESUMO DO LIVRO

Mais Forte Que o Desejo 

Rachel Palmer
Super Sabrina 03


Aquela viagem para o México parecia um sonho, Rose iria trabalhar em Hacienda Escondida, a propriedade da família mais tradicional da região. Mas logo se viu irremediavelmente envolvida com don Ernesto Lopez, o herdeiro e o senhor do lugar, noivo da bela e altiva Ynez. Dominada por um desejo ardente que nunca tinha sentido antes, Rose sentia-se fraca para resistir aos apelos sexuais que emanavam daquele homem viril e poderoso, que tentava seduzi-la a qualquer custo. Desesperada, ela percebeu que não teria forças para apagar aquela chama de paixão que queimava seu corpo. Mas essa paixão era apenas um apelo carnal e, para Rose, mais forte que o desejo era o amor que sentia por Carlos, irmão de Ernesto.

VOCÊ ENCONTRA O LIVRO AQUI



TRECHINHO DO LIVRO


— Des. . .  desculpe — gaguejou. — Não pude deixar de notar que o envelope de cima estava endereçado a mim. Estava tentando ver a data do carimbo. Sabe, estouviajando há mais de uma semana. . . — Ela parou, confusa.
— Ainda não examinei a correspondência de hoje — disse ele rispidamente. —
Sou Ernesto Lopez Aguilar. Conchita disse-me que sua visita era esperada.
Ele continuou de pé e não convidou Rose a sentar-se. — Você deve ser o irmão de Carlos — disse Rose, estendendo a mão. — É ele quem espera por mim e eu gostaria de falar com ele, se estiver em casa agora.
—  Carlos não está em casa nem deverá chegar tão cedo. Sinto muito pelo desencontro.
Fez uma inclinação de cortesia e não apertou a mão que ela lhe estendeu. Decepcionada com aquela fria recepção. Rose sentiu os olhos encherem-se de lágrimas.
— Se houve um desencontro foi porque nossas cartas cruzaram no caminho. Ali na sua mesa está a carta de Carlos que deve ter chegado em Nova York depois que eu saí. Está também a carta que eu escrevi a Carlos. Se verificar os envelopes vai ver que estou dizendo a verdade.
Ernesto semicerrou os olhos para avaliar melhor cada detalhe do corpo esguio e bem-feito de Rose, o vestido barato, os cabelos loiros e sedosos, e finalmente os olhos azuis cristalinos, cheios de mágoa.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

ANNA E O BEIJO FRANCÊS







Meninas, está aí um livro gostoso de ler. Sabe aquele livro que você não patina nas letras? Ou tem que ficar parando toda hora para  reler e entender o que leu? Esse livro corre rápido, pois a forma da autora escrever é leve e fácil. O gostoso é que você se identifica com a personagem. 


  • ANNA É UMA GAROTA DE 17 ANOS QUE É ENVIADA PARA A FRANÇA, PARA TERMINAR O ENSINO MÉDIO, NUMA ESCOLA PARA AMERICANOS.
  • ELA NÃO GOSTA DE DEIXAR TUDO PARA TRÁS, SEUS AMIGOS E UM AMOR NOS EUA.
  • LOGO ELA CONHECE NOVOS AMIGOS, E PRINCIPALMENTE ST. CLAIR.
  • ELA SE APAIXONA  POR ST. CLAIR.


MOTIVOS PARA VOCÊ LER O LIVRO:

  • O LIVRO FALA DA CIDADE LUZ: PARIS
  • É UM LIVRO APAIXONANTE, QUE EXPLORA MUITO A AMIZADE. ONDE MOSTRA QUE NEM TODOS SOMOS PERFEITOS.
  • AS CENAS DESCRITAS NO LIVRO MUITAS VEZES  SÃO HILÁRIAS.
  • LIVRO DE FÁCIL LEITURA

Você encontra o livro para baixar em:

 http://adorolivrosderomances.blogspot.com.br/

TRECHINHO DO LIVRO


"Adoro me sentar ao lado dele na aula de física. Encostar nele durante as aulas de laboratório. Sua letra feia nas nossas folhas de trabalho. Adoro entregar sua mochila quando nossa aula acaba porque assim meus dedos ficam com seu cheiro pelos próximos dez minutos. (...) Adoro sua risada de menino, suas camisetas amassadas e seu gorro de crochê. Adoro seus grandes olhos castanhos e o modo como ele morde as unhas, e gosto tanto do seu cabelo que eu poderia morrer. Só tem uma coisa que eu não gosto nele. Ela."

"Sinto falta de Paris, mas lá não é minha casa. É mais algo do tipo sentir falta... disso. Desse calor pelo telefone. É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar? Bridge costumava ser meu lar. Talvez St. Clair seja meu novo lar. {...} Isso é estar em casa. Nós dois. "






ESPIÃ DE LUXO



Gosto de comentar o livro e não contar o livro rsrsrsrs. Esse livro é DIFERENTE!
Diferente dos tradicionais florzinha.
 Quem gostou do gênero O beijo de Judas, que comentei nesse blog, vai amar esse livro. Ele segue a mesma linha. Nesse livro o tema é falsa indentidade e mau julgamento. A mocinha é contratada para espionar o mocinho, e acaba se apaixonando por ele. 
Livro gostoso de ler... 
O mocinho é persistente, sedutor e tem personalidade forte.

MUITO BOM!


RESUMO DO LIVRO

Quando aceitou aquele contrato milionário para espionar os altos negócios de Lance Lazenby, um dos maiores nomes do mundo financeiro londrino, Abigail se armou com seu talento de atriz, sua beleza incomum e partiu para a luta.-Agora, presa nos braços de Lance, à mercê de seus beijos e carícias, ela se via enredada na própria armadilha, perdida no labirinto que havia criado. Lance se revelara um hábil adversário, e suas carícias, os mais difíceis obstáculos. Abigail não podia reconhecer que estava perdidamente apaixonada. Impossível aceitar que se tornara uma peça num jogo onde deveria ser a única vencedora...


NOTA: OS TRECHOS TIRADOS PODEM SER REVELADORES(SPOILER), ENTÃO NÃO LEIA

TRECHOS DO LIVRO

Recostou-se no banco, satisfeita: o peixe havia mordido a isca e tudo indicava que iria querer mais. Sabia que Charles desaprovaria a atitude de ter recusado o convite para almoçar, por mais sutil que fosse essa tática. Mas não deixaria de confiar em sua intuição e esta indicava que o sucesso seria completo se Abigail se fizesse de difícil. Iria se revelando aos poucos àquele homem de olhos cinzentos, até fechar o cerco por completo. Portanto fazia parte do jogo não aceitar o primeiro encontro. Os lances maiores ainda estavam por vir.


NESSE TRECHO  MOSTRA A SEGURANÇA DE ABIGAIL NA CONQUISTA DE LANCE:

Abigail soltou uma pequena exclamação de surpresa. Estava com os olhos fixos no rosto dele e teve uma sensação estranha, como se sua intimidade começasse a ser invadida. Balançou a cabeça.
— Sinto muito, sr. Lazenby, mas…
— Por favor, me chame de Lance.
— Está bem… Lance. Mas, como pode ver, estou saindo com Ross.
— É noiva dele?
— Bem, não, mas…
— Então está livre para sair comigo.
— Estaria… se quisesse.
— E não quer? — Lazenby se aproximou, estudando-a mais detalhadamente e se demorando nos lábios. Ele parecia poderoso e ameaçador.
Abigail engoliu em seco, quase assustada com a carga de arrogância e magnetismo que emanava daquele homem de gestos seguros. Recuou involuntariamente, sentindo-se grata por conhecer a história da filha de Charles. Precisaria tomar muito cuidado, era fácil demais se deixar envolver por alguém como Lance Lazenby. Com a expressão mais fria que conseguiu manter, balançou a cabeça de novo.
— Não, acho que não quero. — E foi se encontrar com Ross na calçada.
Alguns minutos depois, quando pegavam um táxi, viram Lazenby entrando num Rolls-Royce prateado, conduzido por seu chofer particular.
No dia seguinte, pela manhã, ao atender o telefone, Abigail não se surpreendeu em ouvir a voz daquele homem. Não deveria ser nada difícil para ele descobrir um número de telefone. Mesmo assim, fingiu espanto e perguntou:
— Como conseguiu o meu número? Não está na lista.
— Entrei em contato com a companhia telefônica — foi a resposta lacônica. — Quer jantar comigo hoje?
— Não, já tenho um compromisso.
— Amanhã, então?'
— Não. Olhe, já disse que estou saindo com Ross e…
— Ele é seu amante?
— Que pergunta! isso não é da sua conta e…
— Pelo contrário — ele a interrompeu suavemente. — Essa história está começando a me interessar.




terça-feira, 24 de novembro de 2015

A TENTAÇÃO DO DESEJO



                          RESUMO DO LIVRO

Assim que o inverno começou a ceder à primavera e o verde despontou nos morros de Tennessee, Jessica encontrou Brodie Hayes. No primeiro instante, mal pode acreditar no que via. O rapaz pobre que anos atrás tinha sido desprezado por Jordanna, sua irmã mais velha, era agora um homem rico, elegante e muito atraente. Em dois meses Jessica estava loucamente apaixonada por ele. Mas, à medida que ela e Brodie se tornavam mais íntimos, suas duvidas aumentavam. Porque ao que tudo indicava, o coração


de Brodie ainda pertencia a Jordanna. Será que, ao falar de amor a Jessica, ele não estaria apenas querendo se vingar?

SOBRE O LIVRO

 EU RECOMENDO O LIVRO SIM! 
É BEM ESCRITO, CRONOLOGICAMENTE BEM DIVIDIDO, GOSTOSO DE LER, E ELE É MUITO SEDUTOR, GENTIL.
 O COTIDIANO É GOSTOSO LER TAMBÉM.



O livro fala de um mocinho que se sentiu a vida toda inferior, ele acaba se tornando inseguro, complexado. Isso reflete em sua personalidade, pois ele quando se vê apaixonado, briga com seus sentimentos, e tem medo de demonstrar, e de se envolver afetivamente. 
Ele é no fundo traumatizado pela vida, pelo desamor que teve no passado pela irmão da mocinha, quando ele era muito novinho e pobre.
Ele usou todo seu trauma como um Zé Ninguém, para vencer na vida. 
Torna-se rico, e adora exibir isso, com roupas caras, relógio caro, carros caros etc. 
Só que tudo isso está na superfície, pois mesmo que ele tenha vencido, ele não consegue lidar com a rejeição, com o que ele foi no passado.

 Então quando ele se apaixona por Jordana, ele sugestiona que gosta dela, a seduz, sempre faz visitas relâmpagos. 
Percebemos que ele a ama, mesmo que ele não declare seus sentimentos, isso mostra no fato dele manter o contato com ela, e ás vezes não dormir, e viajar horas  para vê-la, pois ele vive viajando por causa do trabalho.

TRECHO DO LIVRO



Muitas vezes só faço uma refeição por dia. Faço regime, não gosto de engordar.

- Lembro-me de antigamente – disse Brodie saudoso. – Eu ficava esperando a namorada, quase sem dinheiro no bolso. Só tinha condições de pedir os pratos baratos. Alem disso, vivia com fome. Meus amigos também. – Ele tirou a cigarrilha do bolso. – Aceita um cigarro, Jessica?

- Obrigada. – Ela pegou um e inclinou a cabeça para acendê-lo na chama do isqueiro de ouro que Brodie estendia. Com o cigarro aceso, inclinou o corpo para trás e aspirou a fumaça. Inalou bem fundo, prendendo a respiração e depois foi soltando a fumaça devagar, fazendo pequenos anéis voarem rente ao cabelo claro de Brodie. – Você subiu muito na vida depois da época das vacas magras.
- Por que diz isso?

- Acho que o sucesso é fundamental na vida de uma pessoa.

- E você acha que eu sou um homem bem sucedido?


- Sim.

- Por quê?

- Ora. Vejo isso nas roupas caras que usa, na cigarrilha e no isqueiro de

ouro. Vejo que você é um homem rico, Brodie.

- Sim. Sou rico. E quem não é rico?

- Quem não e rico fracassou na vida.

- Você acha mesmo isso?

- Sim, Brodie.

- Então, se entendo bem, o dinheiro é a base de sua escala de valores. É isso Jessica?

- O dinheiro, a eficiência, a pontualidade, a especialização, a limpeza...

- Jessica tentou mostrar que não era apenas o dinheiro que interessava. Por isso acrescentou: - Gosto também de pessoas bonitas, de bom coração. Gosto da felicidade, de pessoas felizes, boas, bem alimentadas, honestas, legais e ordeiras. Tudo isso me encanta.

- Ah... - Brodie ouvia com atenção.

- Gosto do meu ti e da agencia de publicidade – Jessica prosseguiu, com expressão sonhadora.


EU ACHO ATÉ QUE NESSE DIÁLOGO ELA O CONFUNDIU MAIS AINDA...RSRSRS

NÃO LEIA ABAIXO -SPOILER:

 O mocinho quando se vê apaixonado, ainda pisa na bola, lhe oferecendo a posição de amante (sem casamento!), ela rejeita e termina tudo. Eles ficam 2 meses sem se falar, até que quando se encontram se acertam, pois ela dá um basta. E ele cai em si. 

PAIXÃO SELVAGEM


Esse livro é lindo, gostoso de ler. Lani é uma jovem forte, decidida.  O mocinho (Jake) é típico dos mocinhos da escritora  Anne Mather. Do tipo que quando se apaixona, não come, não dorme, e sempre batalha pela mocinha. Eu amo os mocinhos dessa escritora, pois todos eles , têm essa característica. 
Esse livro, é maravilhoso. 
A mãe(Claire) de Lani, é uma mulher chata, e fútil. 
Claire e o mocinho não estão envolvidos sentimentalmente, ela o quer por um simples capricho. Então o livro não é pesado, onde temos uma traição, mas o livro fala de duas pessoas que se amam, onde com o convívio, esse amor cresceu, fala da atração de um homem por uma mulher, onde ela é a única capaz de trazer cor a vida preto e branco do mocinho.
A leitura é leve e agradável, quando você vê acabou o livro. 



                             RESUMO DO LIVRO


Um destino cruel forçou Lani St. John a uma escolha impossível entre a realização de seus desejos e a renúncia ao único homem que poderia amar. Jake Pendragon, o atraente e talentoso pianista que havia despertado a paixão em seu corpo de adolescente, estava de volta à sua vida, desta vez para destruir-lhe todas as reservas e subjugá-la definitivamente. Mas Lani não podia, não queria se entregar por inteiro àquele homem sedutor e violento, provocante e imoral. Porque sua linda rival, a mulher com quem ele estava envolvido, não era outra senão a sua própria mãe!



UM TRECHINHO DO LIVRO, ONDE SE TEM O REENCONTRO DE LANI, NÃO MAIS UMA ADOLESCENTE.


— Francamente, mamãe... — Lani estava tensa, desejando não ter vindo, e virando o rosto foi a primeira a ver o convidado que acabava de chegar.  Alto, esguio, bronzeado... Não tinha mudado muito naqueles seis anos, a não ser pelas roupas finas, os cabelos bem penteados e a fisionomia mais séria, para não dizer cínica, do que Lani se lembrava. Por outro lado, talvez não tivesse notado isso antes. Era criança demais para distinguir entre sarcasmo e ironia.
Só que agora não era mais criança, mas uma mulher, e a intensidade de seu olhar pareceu atrair o dele. Não esperava ser reconhecida. Seria muito querer que ele se lembrasse de uma adolescente curiosa, que tinha invadido a privacidade de seu lar. E ficou surpresa ao ver aqueles olhos castanhos se estreitarem e as sobrancelhas se contraírem, formando rugas. Pelo que pareceu uma eternidade, mas poderiam ter sido apenas alguns segundos, ficaram se olhando por entre as cabeças das outras pessoas na sala, até que alguém o viu e chamou-o.
— Lani, está ouvindo. . . Meu Deus! Jake!
Clare, que agarrava o braço da filha, viu o recém-chegado também e, sem dar nenhuma explicação, deu as costas para ir ao encontro de Jake Pendragon. Os demais convidados deram passagem, e Lani teve uma visão inesperada e indesejada. Indiferente ao fato de estar sendo observada por todos, Clare se atirou nos braços dele e deu-lhe um beijo na boca.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

DUAS VEZES MEU - MARGARET PARGETER

Duas vezes meu  
Margaret Pargeter
Boomerang Bride
Coleção Bianca, nº 186
Editora Abril , 1979
Assunto Casamento desfeito


O que falar desse livro? Ele me deixa num ponto de interrogação.
 Enfim, o Wade é um cara arrogante, dono da razão, ele é ciumento demais, mas  ele a ama. Isso se vê nos gestos dele ao longo da história, o problema é que ele é orgulhoso, e foi deixado pela mocinha, pois na história teve um mal entendido, e ele entendeu desse gesto dela como desamor. Ele é um sujeito arrogante também e não confessa esse amor. A autora gosta  muito de Ogros. Então, quem não gosta, esqueça esse livro

TRECHO DO LIVRO

O rosto de Wade McLeod ficou mais sombrio. Estava tão perto que ela podia ver cada músculo, e Vicki sentiu o corpo vibrar com as lembranças. Estranho pensar nisso, quando havia outras coisas mais importantes em jogo.
—  Há uma diferença entre odiar as pessoas e empurrá-las para o túmulo. Se ele não estivesse perto, quando eu soube onde você estava, teria arranjado as coisas de modo diferente. No estado em que ele se encontra, a mínima contrariedade pode matá-lo.
—  E isso o preocupa?
—  Se a presença do bisneto vai alegrar suas últimas semanas de vida, quem sou eu para impedir isso?
—  Mas eu quero meu filho de volta! Não pode me tirar a criança, não importa o que sinta por mim. Já o odeio pelo passado, Wade McLeod, não me force  a odiá-lo pelo futuro  também!
—  Não se preocupe. Assim que o velho morrer, terá seu filho de volta.
—  Nunca me perdoou, não é? Depois de tanto tempo!
—  Não vamos falar sobre isso.
—  Pensei que fosse querer o divórcio. . .
—  Depois que o velho morrer, vou providenciar muitas coisas. Por enquanto, tenho um enorme prazer ao vê-lo morder os punhos de raiva, cada vez que aparece uma nova mulher e eu não posso casar.
—  Então continua a me usar como arma? Sei que nunca me amou. Casou comigo num momento de raiva, porque eu era a última mulher que seu avô escolheria para ser sua esposa, e você decidiu se vingar com um casamento sem amor e sem filhos.
Calou-se, assustada com o olhar dele. Mas a resposta de Wade era mais importante que o medo. Ele se limitou a sorrir ironicamente.
—  Foi uma boa arma enquanto durou — disse —, devia ter-me lembrado de manejá-la com atenção. Infelizmente, fui muito descuidado.

CONTINUANDO...

Como sabemos, no final do livro tudo é exclarecido por Wade, que se declara sem medo de ser feliz. Mas ele expos e não se humilhou não!

Se gostar de livros de desencontros, onde só o final tem um final feliz. Ta aí...


RESUMO DO LIVRO

Quatro anos atrás, Wade não tinha hesitado em expulsar Vicki de casa. Apesar de continuarem casados e terem um filho, ele nunca se interessou em saber sequer se estavam vivos ou mortos. Agora, inesperadamente, mudava de idéia e queria que ela e o pequeno Graham voltassem para sua fazenda no norte da Austrália. Por quê? Aquele nunca tinha sido um casamento normal. Wade só havia casado para desafiar o avô, e Vicki suspeitava de que seus motivos para chamá-la de volta também não tinham nada a ver com amor. Uma suspeita que se transformou em certeza e medo, quando descobriu que ele continuava cruel como sempre. Até pior, pois podia tirar dela sua única razão de viver: o filho.

SINFONIA DE INVERNO


Anna é jovem e tem muito a amadurecer, toca violino e tem como maestro Gareth, seu mentor, professor, incentivador.
 Anna é muito introspectiva.

 Gareth, com toda sua sensibilidade, sabe que Anna só será talentosa se ela se descobrir como mulher. 

Isso desperta no mocinho Gareth a vontade de despertar a paixão que existe dentro dela, pois Gareth vê que Anna é muito mecânica, muito certinha e  que ela tem um vulcão que está adormecido. Ele, então, a provoca, a seduz, mas nunca dá a entender que a Ama. 

O mocinho passa a imagem de ser um homem firme, fino, um verdadeiro aristocrata. 

O livro é muito bom, o cotidiano é gostoso, a leitura é leve, e te leva a entender a música clássica, onde o músico, não toca seguindo apenas notas, mas também para ser um bom músico precisa se envolver com a música, para tocar com emoção. E nada como a paixão para despertar na gente isso.




RESUMO

Anna amava Gareth Evans perdidamente. Eles tinham conseguido uma integração maravilhosa — ela ao violino, ele regendo a orquestra —, e agora Gareth queria seu corpo. Porque Anna era uma mulher bonita e porque, segundo ele o sexo era a continuação da música e da arte. Sim, Gareth a desejava com ardor, mas não havia em seus olhos um único lampejo de amor. E, por mais que quisesse, Anna jamais conseguiria despertar esse sentimento em Gareth. Ele era um homem famoso, bonito, cobiçado pelas mulheres da Europa toda, enquanto ela não passava de uma jovem adolescente, tola e muito inexperiente...


NOTA: O TECHO TIRADO PODE SER REVELADOR(SPOILER)


TRECHO DO LIVRO

— Acho melhor procurar outra solista, sr. Evans.
A voz de Anna estava rouca, ela mal conseguia entender o absurdo que estava exigindo. Sentia-se quase paralisada.
— A jovem solista está pedindo demissão? — Gareth tirou mais um cigarro da cigarreira dourada. Os olhos não se desviavam do rosto desafiador de Anna. — Ninguém foge de mim desse jeito, srta. Pearson. O seu... estado de espírito apenas confirma minha previsão anterior. — Ele cortou o ar com um gesto expressivo da mão. — É isso que estava faltando durante o ensaio de hoje. É só uma questão de entender um estado de espírito...
—- Você não está sugerindo que... — Anna parou de falar, inca¬paz de declarar o que intuía.
— Isso é necessário, querida Anna.
— Não sou sua...
— Claro que não. — Ele escorregou para a beiradinha da cadeira e tocou nos joelhos da jovem com um gesto de intimidade. — Não estou sugerindo que você é minha ou qualquer coisa parecida. Só estou interessado na sua interpretação do concerto. Tecnicamente você e perfeita, mas a técnica não é tudo. O sentimento é fundamental. É necessário mais do que tocar apenas as notas corretamente. — Ele voltou a se recostar, tranqüilo, observando as mudanças de cor no rosto dela. — Os músicos precisam de fogo interior, Anna. Acho que descobri um jeito de acender esse fogo, um jeito de derreter esse gelo todo.
— E pensa que eu...
— Claro que vai deixar. Você não teria força para resistir. Tenho muita experiência nesse assunto.
— Sei que tem! — Ela reagiu com fúria e notou que o sorriso de Gareth desapareceu. — Acontece que minha interpretação nunca foi criticada e vai ter de aceitá-la como é. O senhor não é o meu tipo, sr. Evans. Prefiro ser solista de uma orquestra provinciana no interior da Alemanha do que ter lições com o senhor. — Ela tentou levantar mas Gareth estendeu a mão e a fez continuar sentada.
— Não precisa ficar tão perturbada, minha querida. Será que não tem senso de humor? Não sabe ver quando alguém está brincando?
Brincando? Gareth Howell Evans estava brincando? Anna sentiu-se humilhada e horrorizada ao entender a situação. Tinha pensado que ele falava a sério. Pessoas como ele talvez brincassem com os sentimentos alheios. As mulheres que ele conhecia talvez achassem graça de uma coisa sem graça como aquela. Mas ela havia levado a situação a sério, havia imaginado que era o tipo de mulher que ele gostava. Gareth Howell Evans e uma adolescente de calças americanas e cabelos louros lisos? O engano de Anna divertia o maestro.

OUTRO TRECHO DO LIVRO:

Com a mão livre ele segurou uma das mãos da jovem, observou os dedos delicados, roçou-os sensualmente contra os lábios.
— Mãos delicadas — ele murmurou, admirado com a força da¬queles dedos. — Tanto talento... — Os olhos castanhos dele magnetizaram os verdes dela mais uma vez e, por fim, ele concluiu o pensamento: — Só que você interpreta como uma virgem, querida Anna. E não posso permitir que continue interpretando assim!
Demorou um segundo até a frase penetrar na consciência dela. Ele estava brincando... não, não estava brincando. Ele não queria dizer aquilo... sim, queria! Anna olhou incrédula, reconheceu o brilho perigoso dos olhos dele, o tremor sensual dos lábios, o brilho dos dentes brancos revelados por um sorriso cada vez maior.
— Saia!
Ela o empurrou com violência. Libertou-se.
— Saia do meu quarto! — Gesticulava, possessa. — Como ousou entrar aqui? Como ousa dizer isso?
Ele não se perturbou com o acesso de fúria. Cruzou os braços, encostou-se na mesa, tranqüilo e imóvel, observando a cena. Não precisa ficar envergonhada. Não estou envergonhada! É um absurdo! Mas, como eu ia dizendo... — ele avançou um passo —essa  situação não  pode  continuar.  Em benefício  da  sua  música, talvez...
— Chega! Não quero mais ouvir essa conversa!
Anna tentou ajeitar o roupão de seda, fingindo não notar os olhos de Gareth admirando o contorno sensual dos seios.
— Como mulher você tem confiança suficiente para... — Ele não concluiu a sentença. Agora parecia que era ele quem estava com dificuldade de se concentrar em palavras.
Confiança! Como mulher Anna nunca tinha confiança suficiente em si mesma. Com o violino, no palco, ela sabia o que estava fazen¬do. Mas aqui, com esse homem, ela tremia...
— Acha que tudo vai mudar se eu deitar nessa cama com você?
— Comigo?
Pela segunda vez, no mesmo dia, Anna cometeu a mesma gafe. Pensou que ele a desejava, quando o desejo era todo dela. Um vermelho vivo corou seu rosto, lágrimas começaram a brotar. Quase cega, procurou alguma coisa para jogar nele.
— Eu não estava sugerindo dormir comigo. — Gareth Evans sorriu. — Mas até que não é má idéia.
Segurou a mão delicada e Anna não teve forças para impedir. Acariciou as pontas dos dedos, as unhas, o dorso e a palma da mão.
— Você não é o meu tipo — ela gemeu.
— Não sou? — Ele também não acreditava naquilo. — Talvez seja...  vamos ver...
— Gareth, pare com isso, por favor! — Anna conseguia resistir mas os protestos alcançavam ouvidos surdos. Surdos de propósito.

— Anna.

MULHER SEM NOME


Livro muito bom, o mocinho é um Ogro com motivos fortes. Esse livro se assemelha muito ao livro que comentei aqui no blog, PAIXÃO DIABÓLICA. 
O livro é muito bem escrito, Muito bem dividido cronológicamente, no livro temos uma rival, que gosta do mocinho, os diálogos são fortes e inteligentes. O livro tem como tema principal : AMNÉSIA.
O livro é gostoso de ver, pois o mocinho de origem espanhola(David) luta contra a atração e o amor que passa a sentir por(Sally) a mocinha.
Enfim, a história é excelente e envolvente. Uma mocinha que assume a culpa sem tê-la, mas que não desiste de impor sua opnião, mesmo que desacreditada pelo mocinho.
 Um "mocinho" que é duro, mas cujo coração sente quando está sendo injusto.
Uma bela e imperdível aventura.
RECOMENDADÍSSIMO! 



UMA TRECHINHO DO LIVRO

Um dia ela despertou. Uma luz suave filtrava-se no quarto onde se achava, e feria seus olhos. Murmurou um protesto, tentou virar o rosto. Uma dor perpassou seu corpo, incendiando-o, fazendo-a perder o fôlego.
Imediatamente o homem sentado ao lado da cama se levantou, um amargurado triunfo brilhando nos olhos negros, impecáveis. Ele a segurou, forçou-a a deitar-se de novo e apertou o botão da campainha da enfermaria.
— Fique quieta, sua idiota!
A moça piscou os olhos arregalados, perplexa pela amargura daquela voz sonora. Encarou o homem, assustada com o brilho de ódio que havia nos olhos fixos nela.
Mas ele percebeu o relâmpago de dor que retorceu suas feições ao respirar mais fundo. E alguma piedade árida apareceu nos olhos negros dele.
— Fique imóvel, Sally. Respire devagar. Dói menos se você respirar cuida-dosamente. — A voz profunda dava as instruções indiferente, sem expressão.
Sally! Ela se concentrou naquele nome enquanto a enfermeira entrava, acompanhada do médico.
— Ela voltou a si, David? — O doutor perguntou preocupado. — Vamos dar uma olhada.
O homem moreno, de olhos amargurados, foi posto para fora do quarto enquanto o médico a examinava. Ajudado pela enfermeira ele a tocava rápida e suavemente, mas mesmo assim a experiência era dolorosa e a moça ficou mais branca que o lençol de seu leito.

OUTRO TRECHO DO LIVRO

Os olhos negros de David queimavam, parado na porta do quarto com as pernas separadas, as mãos na cintura, numa atitude cheia de ameaça como um animal furioso.
A moça se encolheu na cama, levantando a mão ferida num gesto instintivo de proteção.
— Calma, David — disse o médico, colocando-se protetoramente entre os dois.
— Não precisa se preocupar, Jim. — A risada rude de David encheu o quarto. — Eu nunca tocaria nessa mulher, nem com luvas de borracha.


RESUMO DO LIVRO

A única coisa de que se lembrava era do grito lancinante. Depois, mais nada. Nem quem era, nem de onde vinha; nada. Sua memória era um branco absoluto. Não reconhecia o homem que diziam ser seu marido e que ali mesmo, no hospital, a olhava com ódio e rancor. Não se lembrava de ter destruído seu casamento e raptado seus próprios filhos. E se recusava a acreditar que fosse essa megera. Mas era. Seus olhos, seu rosto, seu corpo e seus cabelos eram os de Sally, a mulher de David Rossi. E ele tinha jurado que não a deixaria em paz enquanto não recuperasse a memória. Deus! Era uma tortura! E o pior é que o coração de Sally disparava cada vez que ela via aquele belo estranho...

domingo, 22 de novembro de 2015

O MISTÉRIO DE DAMIAN



Esse livro é ótimo, um livro cheio de mistérios. E quem gosta do tema: ciúmes, mocinho possessivo, esse é um prato cheio. Ele também é um romance muito original e a história te cativa do começo ao fim. O mocinho da história é um ogro, e a mocinha da história tem um temperamento forte também. O enredo é muito bom. Uma história bem amarrada, a autora acertou também no aspécto cronológico, onde dividiu bem o tempo dos acontecimentos. 
Esse romance só peca numa coisa: As cenas com o mocinho foram tão poucas, pois eles tinham uma química tão boa e intensa, e a autora relatou muito o cotidiano, e o dia-dia da mocinha.  

A história no quesito original, ganha em relação às outras histórias florzinhas.
Eu amei o Damian, mas na vida real não queria um não rsrsrsrs, já no livro é gostoso de sentir o amor de um homem e sua possessividade, demonstrando assim seus sentimentos mais intensos.

Quem ainda não leu, não perca tempo. Leiam!!! Irão gostar!!



O Mistério de Damian  
Charlotte Lamb
Haunted
Coleção Bianca, nº 215
Editora Abril , 1983
Assunto Cotidiano
romances 
Apenas o cantar dos pássaros e o murmurar do rio passando entre as pedras cortavam o silêncio daquele trecho do bosque. A tentação era forte demais. Impulsivamente, Elisa-beth tirou toda a roupa e mergulhou. Um delicioso prazer se apossou dela quando sua pele quente foi envolvida pela água fria, lavando todos os seus medos, toda a angústia. Fora da água sentiu-se gelar e saiu torcendo os cabelos que pingavam. Foi então que viu o vulto atrás das árvores. Outra vez aquela visão: o perfil elegante, o mesmo modo de caminhar... mas Damian, o seu grande amor, estava morto! O vulto se aproximou mais e então ela distinguiu os mesmos olhos negros de Damian. Alucinação? Loucura?

sábado, 21 de novembro de 2015

PONTO DE VISTA DE LETÍCIA

Bom dia meninas,

Hoje vou falar sobre o livro no sentindo de "VENDER SEU PEIXE". Por que  vender seu peixe? Pois é assim que a autora faz com a publicação de seu livro. E isso não ocorre apenas com os livros, mas com filmes também. Antes de falar dos livros vou dar uma ideia sobre isso, falando de filmes.
Assisti um filme ontem chamado Fuga Implacável:

Will Shaw (Henry Cavill) é um executivo de Wall Street que vai passar as férias com a família no litoral da Espanha. Porém, aquele momento de lazer se transforma num verdadeiro inferno quando as pessoas que ele mais ama são sequestradas. Correndo contra o tempo, ele acaba descobrindo que o crime faz parte de uma conspiração do governo americano.


Pois é, por que peguei esse filme para exemplificar minha opnião?

O filme se passa em Madri, onde o pai de Will, o ator Bruce Willis é uma agente da CIA, mas esconde isso de sua família. Num determinado momento do filme a família de Will é sequestrada e seu pai, o ator Bruce Willis é morto, tudo isso por causa de uma maleta que estava em posse do pai o do mocinho, pois ele não queria que caísse em mãos erradas.
Até aí tudo bem, mas o que ocorreu no filme, para eu citá-lo aqui no meu ponto de vista. Que eles tentaram vender um peixe, sem realismo nenhum. 
Por que?
O filme logo de início mostra que o mocinho falou justamente com policiais corruptos, e logo de início ele acaba matando os policiais. A cidade é toda alvoroçada com corrida de carros, fugas, a embaixada acabou sendo envolvida, pois o mocinho a procurou também. Mas o que ocorreu?
A movimentação do filme era grande, cheio de ação, com fugas, MORTES,  
mas a cidade parecia que não tinha policiais. 
Eles faziam o que bem entediam na cidade e nada da polícia aparecer ou resolver.
Tinha policial corrupto, sim!
Mas nem todos....
Esse  filme para ser mais emocionante, faltou mais realidade.  Ele teria que ter mostrado a movimentação da polícia para pegar o mocinho, que era visto na cidade como um assassino. E não vimos isso. 

OUTRA HISTÓRIA MAL CONTADA.

A NOVELA A MADRASTA


A história era boa, o motivo, a questão do pai esconder dos filhos que a mãe foi presa. Mas o que pegou?
Ela sai da prisão rica. Se vestindo bem, logo aluga uma parte de um hotel para receber todos e se mostrar a eles. Se hospeda em um hotel. Mas com que dinheiro? Ela tinha acabado de sair da prisão. Se não assisti algum capítulo que mostrou isso, me falem pois eu não vi.
Eles venderam um peixe e nós compramos, sem questionar.

HÁ FILMES DE FICÇÃO, MAS TEM UMA BOA HISTÓRIA, MUITO BEM AMARRADA, FUNDAMENTADA, E SE TORNA ATÉ REAL. O QUE QUERO DIZER É QUE VENDERAM SEU PEIXE BEM, MESMO SENDO FICTÍCIA. ENTENDERAM?
A HISTÓRIA NÃO FOI JOGADA. TIPO " ENGOLE!"


Agora vamos aos livros.

Nos livros de romances ocorre a mesma coisa, a autora através da história tenta vender o peixe dela, contar a história e fazer com que compremos sua ideia. Lembramos que adoramos uma fantasia, creio que fantasiar é bom, mas quero deixar claro aqui, que na minha opinião, tudo tem que ter um limite. As coisas não podem ser jogadas, a história precisa ser bem amarrada, explicada e engolível. 

Muitas vezes ficamos presos se a mocinha é sonsa, ou maluquinha, ou sonhadora, o mocinho é ogro, bobinho etc. E esquecemos de ver se a história foi bem contada, se teve teor de realidade. Pois se fica muito presa a fantasia, na minha opinião, é pior do que se a mocinha me der raiva de ser sonsa etc. 
Oras, isso é a característica dela, mas o livro é contado com muita realidade, isso no meu ponto de vista é melhor que histórias com muita ilusão. Pois na vida real, vemos vários tipos de personalidades por aí. E por que não achar em livros?
Vejo muitas meninas criticarem pelos personagens se apaixonarem rápido, mas paixão é assim, ela acontece rápido. Ela te impulsiona a querer conhecer a pessoa melhor. Mas muitas vezes os personagens fazem loucuras, movidos pela paixão, e depois com o tempo se transforma em amor. Então na minha opinião não pega quando isso ocorre...
Bom, é isso...

E você? Gosta de um livro pelo teor realistico? Ou gosta mais da ilusão?




quinta-feira, 19 de novembro de 2015

SEDUZINDO O INIMIGO


Annabel é uma jornalista que para salvar o casamento de sua irmã gêmea decide assumir que era ela no hotel com o político Barry Wolfe. Mas muitos não acreditam nisso, inclusive o irmão de Barry o advogado Daniel, um homem extremamente inteligente, charmoso e que sabe o que quer, e como conseguir isso. 
Annabel resolve fugir de tudo isso para uma ilha paradisíaca, mas  Daniel a segue até lá. Daniel se sente atraído por Annabel, e aos poucos se apaixona. Annabel, por causa da mentira o resiste, mantendo sua mentira. Mas ela se apaixona, e começa a entrar em conflito consigo mesma. 
Livro gostoso de ler, com diálogos inteligentes, e Daniel é apaixonante.


RESUMO DO LIVRO

Era óbvio que aquilo era uma farsa.


Daniel tinha certeza de que Annabel Parker estava mentindo. Alguma coisa lhe dizia que ela não era a acompanhante de seu irmão, quando ele morrera fulminado por um ataque cardíaco em um quarto de hotel. Annabel era doce demais, ingênua demais. Não poderia ser a amante de seu irmão... Pelo menos era isto que ele desejava, do fundo do coração!
Annabel tinha de manter a farsa até o fim! Afinal, se revelasse a verdade, sua irmã gêmea estaria em má situação. Mas Daniel era um homem perspicaz... Além de muito charmoso. Será que ela conseguiria se manter fria, enquanto seu sangue queimava nas veias quando estava ao lado daquele homem?

terça-feira, 3 de novembro de 2015

MULHER APAIXONADA


Margaret Pargeter

 Essa autora na minha opinião é realmente mágica, faz a gente se envolver na historia como se fosse conosco cada situação, mas isso tem um lado ruim que foi o meu caso, me senti humilhada, rejeitada e depressiva assim como a personagem, o mocinho humilha tanto a mocinha, chamando-a de feia, sem graça entre outros, sem contar com agressão fisica que só fez piorar o sentimento em relação a historia, a mocinha no meu ponto de vista é muito submissa e inocente demais e o mocinho é tão rude que cheguei a torcer para que eles não ficassem juntos ( o que raramente ocorre comigo) o que é estranho em casos de romances de banca. No meu ponto de vista esse romance é regular e não condiz muito com os trabalhos da autora, ela realmente caprichou em fazer do mocinho um verdadeiro ogro e fazer as emoções se tornem bastante intensas. 
Se vc gosta de livros intensos emocionantes onde o mocinho é um OGRO de verdade leia esse livro pois a autora conseguiu a façanha de nos colocar dentro da historia de uma forma muito verdadeira!!!!!

ABAIXO O RESUMO DA HISTORIA





Órfã, Emma teve de ir morar com parentes em uma fazenda, trabalhando como escrava. Todos a humilhavam, a chamavam de feia, magra, desajeitada. Até que, um dia, Emma imaginou ter encontrado a felicidade, quando Rick Conway, o homem mais rico e fascinante da região, a pediu em casamento. Porém, depois de casada, Emma só recebeu maus-tratos do marido. Se Nick a desprezava, por que se casara com ela? Que mistério havia nas decisões desse homem? Seria por vingança que havia se unido a Emma? Perguntas terríveis que maltratavam o coração dessa mulher apaixonada...







Meninas,

Aqui no blog, não tem dona da verdade. Como diz o título do blog, PONTO DE VISTA - LIVROS. Pois cada uma tem seu ponto de vista. Hoje temos 3 comentaristas, eu gostaria que tivesse mais, sabe por quê? Pois cada uma tem um ponto de vista diferente, e cada leitora vai se identificar com a comentarista que tem o ponto de vista parecido com o seu.


GOSTARIA QUE PARTICIPASSEM, COMENTANDO OS LIVROS. QUE NÃO FICASSE UM MONÓLOGO.

QUEM QUISER PARTICIPAR COMO COMENTARISTA, FALAR COMIGO NO
amoraosromances2@gmail.com